notícias

IPREM - ADERE CAUSA AMBIENTAL

 
prem-SP é pioneiro no descarte de lâmpadas fluorescentes

A preocupação com o meio ambiente e a saúde coletiva é uma constante no Instituto de Previdência Municipal de São Paulo. No dia 30 de setembro, o Instituto pôde demonstrar esse compromisso através do descarte de lâmpadas fluorescentes queimadas.

Na ocasião, quase 800 lâmpadas foram inutilizadas através de um sistema especial, que não agride o meio ambiente e neutraliza as substâncias químicas nocivas à saúde.

O Iprem-SP é o primeiro órgão público do município a realizar essa ação. Antes do Instituto, apenas o Edifício Martinelli, que congrega órgãos públicos e empresas privadas, havia realizado a coleta de lâmpadas fluorescentes.

As lâmpadas fluorescentes são conhecidas pela sua eficiência e durabilidade. Entretanto, após a sua vida útil, o seu descarte torna-se um problema, pois contém substâncias químicas nocivas ao homem e à natureza.

Para o descarte foi utilizada a máquina conhecida como “papa-lâmpadas”(veja foto). “As lâmpadas entram por um tubo que termina em um tonel onde elas são trituradas. A parte física (alumínio e vidro) permanece no tonel e os gases nocivos são sugados por um aspirador que na mesma hora filtra o ar, descontaminando-o”, explica o operador da máquina, Fabio Masi.

O servidor Alan Udala, um dos responsáveis pela concretização da coleta, comemora: “O Iprem-SP receberá um certificado comprovando a eficiência do serviço e a quantidade de material coletado”, diz ele.

Funcionários de diversas áreas participaram do projeto, “o envolvimento deve ser geral, não só da comissão A3P, pois o objetivo é de interesse de todos”, diz Iara Barros, líder da comissão A3P no Iprem-SP.

“Espero que esse primeiro passo seja gerador de uma cadeia de ações desse tipo em toda a Prefeitura, pois o retorno tem impacto ambiental e social”, comenta Rosa

Tag Heuer Replica Watches
.
Legislação

O descarte de lâmpadas fluorescente do Iprem-SP atendeu a algumas leis e convenções já existentes. Uma delas é a Lei nº 14.898/09 que obriga os órgãos públicos municipais a coletarem e fazerem armazenamento das lâmpadas fluorescentes com defeitos ou que não iluminam mais para serem reaproveitadas através de processo de reciclagem.