na mídia
Veja abaixo algumas mídias que já destacaram o trabalho desenvolvido pela Naturalis Brasil.

15/4/2010 - Jornal destaca parceria entre Naturalis Brasil e comercio local
A Gazeta Itapirense destaca iniciativa da parceria entre comerciante local e Naturalis Brasil
 
11/1/2010 - REVISTA POTENCIA CONTEMPLA PARCERIA ENTRE META CERTA MAT. ELETR. E NATURALISBRASIL
REVISTA POTENCIA CONTEMPLA PARCERIA ENTRE META CERTA MAT. ELETR. E NATURALISBRASIL
 
31/07/2013 - SENAC faz sua terceira visita a Naturalis Brasil
Em excursão pela Naturalis Brasil professor Ronaldo promove consciência ambiental em alunos da rede SENAC.
 
16 a 18 agosto - II Conferencia de M.A de BARUERI E REGIÃO !!!
II Conferencia de Meio Ambiente de BARUERI E REGIÃO a empresa Naturalis Brasil integra quadro de fornecedores da rede de prefeitura da região
 
27/07/2016 - Teste com lâmpadas LED aponta qualidade duvidosa em sete marcas
Teste com nove marcas de lâmpadas de LED realizado pela PROTESTEAssociação de Consumidores provou que elas ainda não são tão boas a ponto de valer o investimento. Apenas duas foram bem avaliadas: Osram Led Superstar Classic A e G-Light A 60 Led. Ainda assim, têm fator de potência baixo (menor que 0,7), o que compromete para se obter mais economia de energia. A recomendação é não comprar quatro delas: Lexman, Golden Ultraled A60, Ourolux Superled Ouro 100 e Kian Led SMD Classic. Portanto, deixe sua fluorescente em uso até ela queimar. Só depois troque pela de LED ou por aquelas que tenham o selo de eficiência energética. Apesar de serem mais econômicas e durarem mais do que as fluorescentes, essas condições só serão alcançadas de forma geral, quando tiverem o selo do Programa Brasileiro de Etiquetagem. Para se ter uma ideia, as companhias de energia têm direito de sobretaxar residências com baixo fator de potência pelo alto custo do capital fixo (instalações) necessário na absorção da energia devolvida à rede. Esta taxa é aplicada para todas as residências com fator de potência abaixo de 0,92. No teste, a durabilidade delas foi menor do que o anunciado pelos fabricantes e a luminosidade pode diminuir muito com o passar do tempo. As seis marcas que perderam muito da luminosidade durante o teste foram: Brilia, Golden, Kian, Lexamn, Ourolux e Philips. Duas amostras da Kian queimaram na simulação do uso por três mil horas – equivalente a três anos –, apesar de fabricantes afirmarem que elas poderiam durar até 25 anos. No teste do fator de potência (FP), que se refere a razão entre a potência usada para emitir luz e a potência total absorvida pela lâmpada, dos nove modelos testados, oito têm FP abaixo de 0,7. Por isso, são muito ruins. A única que se salvou foi a Philips, com FP próximo a 1. Mas a marca não ficou entre as melhores avaliadas por ter comparativamente, pouca durabilidade e perder rapidamente a luminosidade. Boa parte da potência absorvida é usada para manter o funcionamento dos dispositivos internos das lâmpadas ou sendo reenvida para rede, e não para emissão de luz, que é o objetivo da lâmpada. A PROTESTE também avaliou que é preciso nove meses e meio para a lâmpada de LED se pagar, considerando o preço mais elevado em relação à fluorescente, e o que permite economizar no gasto de luz por mês. A avaliação da economia da LED levou em conta o preço de R$ 14 pela fluorescente e de R$ 18,90 pela LED G-Light, a melhor relação custo-benefício do teste. Levando-se em conta que a lâmpada permaneça acesa seis horas por dia num ano, é possível economizar R$ 18,26 na conta de luz, o equivalente a 21,84 kWh. Foi considerada para o cálculo a tarifa de R$ 0,83605/kWh da Light do Rio de Janeiro. Com o uso da LED até o fim da vida útil, a economia atinge R$ 209,02. A partir deste ano, fabricantes e importadores não podem mais fabricar nem importar lâmpadas sem a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence). Porém, o comércio ainda poderá vender seus estoques antigos de lâmpadas sem a etiqueta até janeiro de 2018. Dessa forma, caso realmente queira substituir sua lâmpada eletrônica pela de LED, prefira as melhor avaliadas ou dê prioridade para aquelas com a etiqueta, quando encontrá-las.
 
13/03/2016 - LEI COMPLEMENTAR N.952 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2016
Disciplina o gerenciamento dos resíduos sólidos que especifica, e dá outras previdências.
 
14/03/2017 - Doação - Laramara
Em nome da Laramara - Associação Brasileira de Assistência ao Deficiente Visual, agradecemos imensamente a doação realizada pela NATURALIS BRASIL , para a nossa empresa, no que diz respeito ao Meio Ambiente (Reciclagem de Lâmpadas ). Somos um centro de propagação de conhecimentos e experiências, além de produzir materiais pedagógicos, gerar recursos e tecnologias para melhorar a qualidade de vida e promover a inclusão social da pessoa com deficiência visual. Realizamos projetos que não seriam possíveis, sem a participação ativa de pessoas e empresas, que cooperam com os nosso trabalho permitindo que possamos transformar vidas. Aproveitamos para convidá-los a visitar nossas dependências e conhecer de perto o trabalho desenvolvido para a habilitação e reabilitação de crianças e jovens deficientes visuais.